Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

zonaDINAmica

Clube Oficial de Fãs da Cantora e Compositora Dina.

Dia Mundial da Língua Portuguesa

Hoje é o Dia Mundial da Língua Portuguesa. Dina celebrou a Palavra de váries poetisas e poetas: Rosa Lobato de Faria, Ana Zanatti, Eduardo Nobre, José Mário Branco, José Gomes Ferreira, António Gedeão e Fernando Pessoa, entre outres. Dina manifestou o orgulho na sua Língua (quase trinta anos antes deste Dia ser criado pela UNESCO!) e na sua terra, Carregal do Sal, compondo e cantando "Soa Bem", com letra de Rosa Lobato de Faria.

Dia da Reabilitação Respiratória

Foi no passado dia 21, mas só agora está a ser divulgado o Dia da Reabilitação Respiratória. Graças aos níveis de contaminação do ar, dos fumadores que obrigam os não fumadores a inspirar o fumo que eles expelem, de certas aves que, à falta de controlo, se tornaram pragas, etc., está a ser cada vez mais frequente os problemas respiratórios na população em geral, abrangendo todas as idades como alvo preferencial. Obviamente, o covid-19 elevou exponencialmente os problemas respitarórios e as suas sequelas. Para agravar este enorme problema, em Portugal a Saúde pública deixa tudo a desejar, com listas de espera enormíssimas para uma primeira consulta, fará para os tratamentos, tornando este problema de saúde ainda mais grave e de difícil sucesso de cura, sendo a "cereja" os cortes financeiros para pessoal profissional e dedicado, para tratamentos, para medicação, etc.

 

Fica aqui a chamada de atenção e o apontar de dedo para a falta de vontade em trabalhar para o bem-estar da população portuguesa, por parte de quem está no lugar indicado (e a ser pago para tal). HAJA RESPEITO (pelo menos)!

PNE2.png

 

Dia Mundial da Poesia

21514614_ymzEh.jpeg

Dina, mesmo sendo autodidacta, criou duas maneiras de composição. Grande parte das suas canções nasceram primeiro pela música, que Dina apresentava a autores para ser feita a letra, a partir de palavras/frases soltas no meio do instrumental da sua guitarra e da melodia em scat singing ("cantar vocalizando tanto sem palavras, quanto com palavras sem sentido e sílabas"). Outra faceta da sua composição era musicar Poemas.

 

Dina musicou Poemas, entre outros, de Fernando Pessoa, António Gedeão, Rosa Lobato de Faria e José Gomes Ferreira.

 

DINA_postal_musical_arquitecto8.jpg

 

É um Poema deste último que apresentamos hoje. "Arquitecto" foi musicado e gravado por Dina e consta no CD de originais Sentidos de 1997, álbum este que foi reeditado em 2013, na Colecção «Vozes do Coração» nº 19 do jornal Correio da Manhã.

 

"Arquitecto" é um tema intenso e despido de artifícios. Unicamente Dina, a dedilhar a sua guitarra com a sua voz melodiosa e timbre característico.

 

Infelizmente, continuamos a atravessar uma apertada censura (mais do que antes da "Liberdade", conquistada aparentemente em 1974!) que assassina o que é diferente e inovação. Neste século XXI Dina foi proibida de editar álbuns de originais - apesar de as cinco décadas de canções de Dina ter sempre sido uma autêntica pista de obstáculos! - mesmo tendo imenso material, só por ser Mulher e dar voz a quem a não tem. A política da "máquina" (editoras, rádios, industria discográfica, etc. ) assassinaram uma GRANDE MULHER, uma Cantora e Compositora portuguesa, com Alma, Coração e vontade de Viver, que deixa uma enorme lacuna na Música Portuguesa... E, como estamos em Portugal, com a sua liberdade podre e despotismo, a culpa morre sempre solteira! Da sua Visão, filantropia e trato maternal, ficam também Saudades Eternas.

 

- Vídeo:

 

- Áudio:

 

 

Dia Internacional da Mulher

dina_.jpeg

Dina, como Artivista nata, abraçou várias causas, sendo que uma delas foi a de dar Voz às Mulheres, empoderando-as. Feliz Dia à todas as Mulheres!

 

Uma canção de Dina que fala de ser criança e ser Mulher é "Lençóis de Vento":

 

 

Nota zDm: A realidade não se pode nem se deve ignorar e, por esse mesmo motivo, hoje temos igualmente no coração todas as mulheres (e crianças) que fogem dos seus Países por estarem em guerra ou a ser invadidos por cobardes. O caso que nos toca mais de perto é o da Ucrânia. A cantora ucraniana Jamala, vencedora do Eurovision Song Contest (ESC) 2016 com "1944", também teve de fugir da guerra provocada por invasores com os seus dois filhos pequenos, enquanto o seu marido ficou a combater (de lembrar que há também mulheres voluntárias na frente de batalha ucraniana!). Jamala, à convite da televisão pública alemã, esteve recentemente na final nacional alemã para a escolha do seu representante no ESC em Turim (Itália). Naquele palco, com a bandeira ucraniana bem apertada na mão, Jamala interpretou a canção com que ganhou o ESC, enquanto apresentadores e participantes do certame e o público que assistia estavam de pé, como quem está a escutar o Hino Nacional do seu próprio País:

Slava Ukrayini! Heroyam slava! ("Glória à Ucrânia! Glória aos Heróis!").

 

Violência Contra as Mulheres

Hoje, 25 de Novembro, é o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres.

 

A Cantora e Compositora Dina, como artivista de causas a favor de minorias e vulneráveis, ergueu a voz sobre este tema, com a canção "Isso é Que Era Bom".

 

Versão regravada em 1993:

 

40 Anos de "Há Sempre Música Entre Nós"

Dina01 (1).jpg

Em 2021 celebramos os 40 anos do single de Dina Há Sempre Música Entre Nós /Retrato.

 

hasempremusicaentrenos_40_bp.jpg

 

hasempremusicaentrenos_40_2bp.jpg

Dina sabia, desde sempre, que a Música era algo especial, não só como Profissão. "Há Sempre Música Entre Nós" fala da importância da musicoterapia no tratamento de doenças, assim como na prevenção delas. Passado 40 anos do lançamento desta canção, quem trabalha na área da saúde em Portugal prefere dar (leia-se vender!) drogas viciantes e destrutivas aos doentes, já que obtêm um retorno financeiro bastante rápido e compensatório, em vez de aplicar alternativas saudáveis e mais do que comprovadas a nível mundial (e que não lhes dá qualquer retorno financeiro)! Cantar e/ou tocar algum instrumento musical é o melhor remédio!

Fica uma certeza: "Há sempre música entre nós"!

 

Músicas Entre Nós #30

Deixa Lá

DINA_postal_musical_deixa lá8.jpg

Junho é o mês do Orgulho LGBTIQ+. Dina, como artivista, mas também como pertencente a este colectivo, colocou mãos à obra e alçou a voz também por esta causa, pois a quem se ama só a cada um diz respeito!

 

Mais, a simpatia e o apoio a minoritáries marginalizades, para além de necessários, são atitudes de coragem a louvar! Em Portugal, hoje se inicia a "semana" do Orgulho, até dia 28 de Junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTIQ+.

 

Fica aqui uma frase emprestada do Sítio dezanove, que irá fazer a mentecaptas deitar fumo pela amostra de cérebro que possuem:

"O ORGULHO LGBTI NÃO NASCEU PARA CELEBRAR O FACTO DE SERMOS GAYS, LÉSBICAS, BIS, TRANS OU INTERSEXO, MAS PARA ASSINALAR O DIREITO A EXISTIR SEM PERSEGUIÇÕES, PRECONCEITOS OU MEDO. POR ISSO, EM VEZ DE QUESTIONAR POR QUE NÃO EXISTE ORGULHO HETERO, AGRADECE NÃO PRECISARES DE UM!"

 

- Vídeo:

 

- Áudio:

 

__________________________________

"Músicas Entre Nós" designa uma série de postais musicais de Dina. O objectivo é, de uma forma concentrada, celebrar e recordar/dar a conhecer a Vida e Obra de Dina - essa onda sonhadora, humanista e artivista, - percorrendo as cinco décadas de canções com que Dina nos brindou.

 

Dia Mundial do Ambiente

Neste Dia Mundial do Ambiente, fica aqui a versão em Inglês de Amor d'Água Fresca, que possui nuances ecológicas:

 

 

Um cover protecção marinha desta canção, com o título Cavala d'Água Fresca, nas vozes de Lourenço & Silva:

 

5 de Maio - Dia da Língua Portuguesa

A Cantora e Compositora Dina, precocemente falecida a 11 de Abril de 2019, tinha orgulho em ser portuguesa e carregalense. Foi pioneira, audaz e persistente. Dina reinventava-se em cada música sua. O seu timbre de voz era único, detectável e apreciado. Dina tinha a preocupação de criar boas canções. Cantou e morreu de pé. A sua Obra, a conhecida e a inédita, é de carácter obrigatório ser ouvida e dada a conhecer. Dina cantou o Amor. Estamos em meados do século XXI e certas maneiras de pensar onde impera o ódio, nos seus mais variados ramos, não são admitidas e têm de ser tratadas devidamente. Recordamos o tema "Soa Bem" (ao vivo).