Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

zonaDINAmica

Clube Oficial de Fãs da Cantora e Compositora Dina.

Músicas Entre Nós #09

Guardado em Mim

09DINA_postal_musical_guardado em mim8.jpg

 

Em Março de 1980, após ter vencido a semifinal, Dina participa na final do Festival da Canção da RTP com o tema "Guardado em Mim" (música de Dina e letra de Eduardo Nobre), dando-se a conhecer ao grande público português, que nessa altura ainda parava para ver dito festival.

 

Desde a segunda metade da década de 70 que Dina já "andava na estrada", tendo gravado dois EPs em nome próprio e feito parte do Quinteto Angola (5+1), assim como, em 1979, fez algumas músicas, e as interpretou, num programa do Júlio Isidro (as letras eram da autoria deste).

 

Dina, de seu nome Ondina Veloso, era uma cantora e compositora autodidacta. Uma artista 'outsider', que criou com intuição certeira. Foi vanguardista e pioneira num País ensopado em falsas moralidades e pseudointelectualísmo, sendo por isso, por alguns todo-poderosos, sido alvo de abafamento e ódio mordaz, prejudicando-a só por razões extrínsecas à Música. Dina atirou-se e mergulhou de cabeça num mundo que estava reservado só a homens, o que mexeu na masculinidade frágil de muitos destes. Dina arrombou portas e muros, pois sempre acreditou na Liberdade. Como um grito aos quatro ventos, as canções de Dina vieram para ficar.

 

Dina, nesse ano de 1980, recebeu da mão da Imprensa o Prémio Revelação. Dina não ganhou esse Festival da Canção, mas a Canção (universo musical) ganhou uma cantora e compositora 'tsunámica', merecedora de orgulho Nacional, que inaugurou uma nova cor musical e um estilo diverso, onde cabem todos os estilos e mais que venham!

 

- Vídeo - Dina na final do Festival da Canção de 1980:

 

- Áudio:

 

__________________________________

"Músicas Entre Nós" designa uma série de postais musicais de Dina. O objectivo é, de uma forma concentrada, celebrar e recordar/dar a conhecer a Vida e Obra de Dina - essa onda sonhadora, humanista e artivista, - percorrendo as cinco décadas de canções com que Dina nos brindou.