Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

zonaDINAmica

Clube Oficial de Fãs da Cantora e Compositora Dina.

5 Anos Sem Dina - III (Fim)

Dina_concertoDINAMITE.jpg

Dina partiu na noite de 11 de Abril de 2019, uma Quinta-feira, no Hospital Pulido Valente (Lisboa). Uma morte anunciada e premeditada.

 

«Seremos sempre 6»

Dina, inspirada na mãe recentemente falecida, compôs o que seria o seu primeiro grande êxito deste novo século, a extraordinária canção "Que é de Ti". Uma canção carregada de sensibilidade e emoção com um duplo significado: Uma Ode ao Arquipélago dos Açores, de onde era natural a mãe (ilha de S. Miguel), por um lado e, do outro, uma leitura de Memória, de Plegária, onde Dina recorda e invoca alguém que já partiu, neste caso a mãe de Dina. Após a mãe falecer (2000), foi a vez dos dois irmãos varões de Dina (2006), um em Março e o outro em Junho, e uma irmã (2012). Numa família muito unida, como é o caso - «unha com carne», - estas perdas abalaram e desmoronaram a Dina. Sobre estas perdas, numa entrevista, Dina concluiu e exclamou com «estamos e estaremos sempre… Seremos sempre 6 (irmãos)!», uma visão interessante esta de Dina! É provado pela Ciência, que se Dina, como outro alguém neste caso, tivesse mais activa laboralmente na Música, isso a ajudaria a superar tal sofrimento (após o tempo de luto, tão necessário, obviamente). Em 2021, na inauguração do espólio de Dina no Museu de Carregal do Sal (terra natal de Dina), da família estiveram presentes as duas irmãs para lhe prestar tributo.

 

Foram 5 décadas de canções interrompidas pela fibrose pulmonar idiopática (FPI) e pelas FORÇAS PEÇONHENTAS ININTELIGÍVEIS, a outra FPI da qual Dina foi vítima! Ao longo de todo o seu percurso a Cantora e Compositora Dina foi vítima de Ódio, entre outros crimes, mas está longe de ser a única vítima em Portugal! Quem, directa e indirectamente, faz bullying e proclama o Ódio indica que nunca foi amado e nunca amou alguém, que não tem noção de nada, nem inteligência, nem ética e nem amor próprio sequer, que são obscurantistas que ganham a vida a minar vidas alheias… Um sinal claro que estes infelizes ignorantes e desviados preconceituosos e corrosivos infames não marcaram presença na escolinha nem tiveram encarregado de educação.

 

Uma ínfima parte do público de Dina pôde em 2016 prestar-lhe uma homenagem em vida, nos Concertos DINAMITE em Lisboa (2) e no Porto (1), idealizado e organizado pelo Gonçalo Tocha (do duo TochaPestana). Foi bom para Dina voltar a sentir o nosso calor e sublinhar que ela NUNCA será esquecida e foi bom também para nós vê-la e, logo que ela começa a cantar (não parecia ter essa fatídica doença!), deixar-nos envolver e trespassar por todas aquelas ondas que nos afagam docemente, vindas do seu timbre característico e único e das melodias das canções. Foram só duas as canções que Dina cantou ao vivo neste ESPECIAL DE CELEBRAÇÃO ver vídeo-resumo do Concerto no Porto ], para além do áudio de Dina a interpretar um inédito que foi ouvido antes da cortina se abrir, mas esteve no palco a tocar a sua guitarra durante muitas canções interpretadas e tocadas pelos 'bálsamos' - nunca serão poucos os agradecimentos a todos os elementos que estiveram no palco com Dina e que tornaram estes concertos-homenagem possíveis: As vozes de Ana Bacalhau, B Fachada, Best Youth, D´Alva, Da Chick, Márcia, Mitó Mendes, Samuel Úria e TochaPestana, acompanhados de uma banda de primeira formada pelo David Santos (baixo), João Gil (teclas), João Pinheiro (bateria) e Manuel Dordio (guitarra)... Um enorme BEM-HAJAM!

 

Não é unicamente canções que Dina nos deixa, o legado de Dina passa também pelo seu Artivismo em várias causas, visibilizando-as  e audiobilizando-as.

 

CONCLUSÃO

Ter dito que o de Dina foi uma morte anunciada e premeditada”, fica mais claro agora, pelos motivos relatados neste artigo. Por razões que a Razão desconhece, Dina nos foi arrebatada!

 

Boa parte da culpa está nas editoras e nos “profissionais” sem ética na imprensa, na rádio, na televisão e na internet, assim como não existir leis que protejam os artistas portugueses (e a população em geral!), tal como acontece com os funcionários públicos e políticos - ter os mesmos benefícios e tratos destes, ou não vivemos em Democracia? - Os Direitos Humanos foram criados propositadamente para serem violados, ao que parece.

 

Os "entendidos" e os "todo-poderosos" aproveitaram estes ingredientes todos para assassinarem a Dina... E por cá continuamos nós, até esses 'outros' decidirem… Sim, pois não é só a Dina que foi assassinada, todos os dias há notícias de pessoas que cá em Portugal foram assassinadas por estas e outras técnicas pelos autores do costume - este artigo tem a finalidade de ser ECO de todas as vítimas, para despertar a consciência da população e chamar a atenção dos políticos e de quem está nas instituições públicas e afins a fazer sabe-se lá o quê em vez de trabalhar (que para isso estão onde estão e são pagos), é hora de acordar e proteger quem está em situação vulnerável, HUMANIZEM-SE! [ nota zDm: para quem está em situação vulnerável, trate da sua saúde mental e lembre-se que é importante para a sua saúde e o seu bem-estar a autocompaixão, não se torture, que isso já lhe fazem os assassinos em demasia ] - Resta a esperança de conversão imediata de quem padece do pensamento assassino (discursos de Ódio incluído!), para fazer deste Portugal e deste ‘mundo patético’ (como diz a versão em língua inglesa de Amor d’Água Fresca) um LUGAR MELHOR DE E PARA TODES!

 

»» 'POR EU TE RECORDAR' (canção "Retrato"):

Recordamos Dina em conversa com o Júlio Isidro no Inesquecível, em Março de 2016 (após min. 42:53), onde se passa em revista vários momentos do percurso artístico desta cantora e compositora.

 

Dina e a sua Música estão sempre entre nós e em nósBem-Haja, Dina, por teres existido e nos teres agraciado com a tua Humanidade, a tua voz e as tuas canções! Continuas a inspirar-nos!

Dina – "Que é de Ti"