Sexta-feira, 27 de Junho de 2008

Livro de Visitas

 

Para quem pretenda deixar a sua pegada, pode utilizar este espaço, bastando para isso, como sempre, clicar em DINAmizar, mesmo por debaixo do presente texto.

 

O conteúdo fica ao critério de cada visitante, podendo ser um 'Olá' à DINA ou um recado que interesse a todos os fãs da DINA e não se enquadre no último texto colocado.

 

Usem e abusem deste espaço, pois então... e toca a DINAmizar!!

tags:
publicado por zonaDINAmica às 16:15
link do post
De Jotacê a 2 de Julho de 2008 às 01:00
Tenho 40 anos. Apenas menos uns quantos (cerca de uma década) do que a Dina. Sou um melómano inveterado, gosto de quase todo o tipo de musica, desde o Heavy Metal ao Fado (criteriosamente seleccionada, claro). Vivi o inicio da década de oitenta em plena adolescência, fase ideal para viver uma época especial neste país: a grande revolução musical a que se deu o nome de ‘nascimento do rock português’, personificada pelo Rui Veloso em versão ‘Chico Fininho’, levando pela mão direita os UHF e pela esquerda os Táxi. E depois, os Trabalhadores do Comércio, Iodo, Grupo de Baile, Jafumega, NZZN, CTT, Roquivários, Salada de Frutas, etc, etc, etc, enfim tantos nomes já perdidos e esquecidos. Pelo meio de bandas de garagem recém-promovidas a vedetas e a ‘nº 1’ dos top nacionais, 3 nomes, 3 solistas emergiam e me prendiam a atenção: a Lara Li, o Fernando Girão e ... a Dina. Curiosamente, a primeira canção que de facto colocou a Dina no meu mapa musical foi a sua tentativa algo desenquadrada de ocupar um lugar na cena rock do momento: o “Pássaro Doido”, que sendo uma canção divertida, se viria a revelar menor, face ao talento criativo e interpretativo da Dina. Desde logo, o lado B desse single “Amar sem aviso”, (que veio a ficar esquecido durante quase 30 anos) fazia toda a diferença, e confirmava a primeira impressão dada algum tempo antes, no Festival da Canção, com a canção “Guardado em mim” : o “Pássaro Doido” foi um fait-divers, a Dina não era uma rockeira, era uma ‘cantautora’ de musica ligeira de elevada qualidade, em inicio de carreira e com muito tempo e espaço para crescer.
Até aos dias de hoje, a Lara, o Girão e Dina continuam a fazer parte do meu pódium pessoal de artistas portugueses, apesar da reduzida produção musical que tiveram ao longo de quase 3 décadas (excepção feita ao Girão, que gravou mais uns quantos discos, alguns de muita qualidade, e que quase ninguem conhece). A Lara Li sofre um pouco mais porque infelizmente apenas sabe cantar bem, não sabe compôr canções. E neste país, isso é muito pouco, não chega. A culpa, decerto, não foi deles, pois vontade de trabalhar e criatividade não faltavam , mas ... eles, e outros tantos, nasceram no país errado. Nasceram num país em que quem governa não quer saber, e quem é governado não exige saber. Os primeiros são cegos porque não querem ver, os segundos cegos são porque não exigem ver. E no meio de tudo isto, que de ‘tudo’ nada tem, estão todos os artistas e criativos deste país, matéria-prima de uma cultura lusa que se queria farta, rica e plural, e que se fez rara, estreita e enfadonha há medida que os anos passam, e passam tambem vidas em luta por uma oportunidade de provar que merecem ser lidos, ouvidos, vistos, enfim, apreciados e reconhecidos na sua, e pela sua, arte. Uns, simplesmente desistem, mas outros resistem, porque é mais forte a sua vontade de vencer, porque é impossivel reter a sua inspiração, e porque ... o sonho comanda a vida, independentemente de todos aqueles que “não sabem nem sonham” o que isso é. E a Dina é isto tudo. A Dina são 30 anos de talento maior, porém subaproveitado, porém amordaçado, manietado por falta de oportunidades, de divulgação, de ‘tempo de antena’. A Dina foi durante as ultimas décadas, vitima de ter nascido portuguesa, apesar do orgulho com que ‘carrega o sol de Carregal do Sal’. Mas ela sobreviveu, e renasceu agora, não das suas cinzas, (porque quem lhe conhece verdadeiramente o talento e musica sabe que ela estava bem viva), mas de um demasiado longo periodo de hibernação forçada, porque finalmente surgiu um novo Farol na sua vida, alguem que a ajudou a retirar a mordaça. Sê muito bem-vinda de novo, Dina. E que vamos nós fazer, heim? Vamos voltar a acordar o vento? Vamos voar outra vez? Vamos voltar a sentir a força dessa Dinamite? Isso é que era bom, pá! Ainda há tempo, garota! Ainda há tempo! Te garanto, aqui e agora, que ainda vais ter muitos ‘dias Sim’. Luta, Mais, SEMPRE, para que haja musica entre nós, e serás feliz, porque nos farás mais felizes. E depois não digas que eu não te avisei, heim? ;-)


Jotacê

.




De Madalena Elias a 30 de Agosto de 2008 às 18:15
Olá Jotacê. Andei a dar uma volta na net e encontrei uma música muito antiga da Dina, se não é a primeira que ouvi dela é uma das primeiras.
Esta música já não me lembrava dela, só sabia que a conhecia, e cada vez que passava na rádio ia logo a fugir levantar o som.
Cá vai o endereço, não dá é a música toda, mas uma parte:
http://musicaonline.sapo.pt/album/2410680/O_Melhor_De_Dois_-_Dina_Mario_Mata_-_Various_Artists

Ouve há umas poucas muito antigas.
Até à próxima


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



zonaDINAmica

Clube Oficial de Fãs da Cantora e Compositora Dina
 

 

NOTAS:

a) Para uma maior comodidade, utilizar o MENU abaixo na navegação.

b) Se gosta da música da DINA participe activamente neste Blog, clicando em 'DINAmizar', e leia as participações de outros fãs, em 'DINAmizações' (ao fim de cada texto). Deixe a sua pegada no nosso LIVRO DE VISITAS e entre no Clube Oficial de Fãs de DINA (clicar em CONTACTOS)

 

 

 

MENU

FACEBOOK zDm
DESTAQUES
AGENDA
SOBRE O ZDM
BIOGRAFIA
DISCOGRAFIA
LETRÁRIO
FOTOS
ARTIGOS
MULTIMÉDIA
EXTRAS
VARIEDADES
LIGAÇÕES
CONTACTOS
PARCEIROS
LIVRO DE VISITAS

Músicas: DINA 2008


Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

subscrever feeds